sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Sobre futebol e a vida moderna


Uma vez em uma entrevista, o então técnico do Corinthians e agora técnico da seleção, Mano Menezes, disse uma coisa que ficou na minha cabeça por um tempo. Era uma desculpa esfarrapada para justificar as derrotas do Coringão que tinha acabado de ganhar o Paulistão e a Copa do Brasil, mas não ia lá mil maravilhas no Campeonato Brasileiro, culpa da desestruturação no time devido à janela de compra e venda de jogadores. A questão é que o comandante havia dito algo muito simples: "Quanto mais o time perde, mais próximo ele está da vitória!" e ainda completou que isso servia para o contrário e que nunca técnico e jogadores (e em consequência torcedores) deveriam se acostumar com uma série de vitórias já que a inevitável derrota poderia vir a qualquer momento. Era nessa mesma época em que o Palmeiras ia de vento em popa no campeonato, mas depois de uma bonanza mal aproveitada, começou a desperdiçar chances de vitória e acabou em quinto lugar ficando fora daquela fatídica Libertadores em que o Corinthians foi eliminado pelo Flamengo em pleno Pacaembu lotado. Quem me conhece sabe que futebol não é minha praia. Nunca foi, mas é sempre bom saber de uma ou outra coisa que se passa no meio futebolístico só pra não ficar de fora daquela conversa de bar ou daquele papo de elevador.
Fato é que as palavras do nosso grande técnico ainda ecoam na minha mente sempre que me deparo com problemas diversos na vida que parecem se canalizar num mesmo período. É comum ter um dia terrível e ainda chegar em casa e escorregar no banheiro ao sair do chuveiro ou levar um pé na bunda, perder o emprego e pegar um ônibus lotado tudo no mesmo dia. Gostamos de culpar o carma e dizer que o Universo conspira contra nós. Isso é comum e essa fase é sempre necessária: indignar-se com tudo e todos, mas depois usar os destroços para a reconstrução. Ora, nada mais certo que levantar do tombo, encará-lo com certa ironia e lembrar que se as derrotas são muitas é porque a vitória está para chegar, já diria nosso Mano.
Ilusão também achar que a vida é um campeonato de futebol e que tudo se resume a vitórias, derrotas e os rejeitados empates, mas não seria tão engraçado viver se não fossem as metáforas para nos ajudar  a entender (nem que seja um tiquinho) essa coisa toda da vida moderna que nos aflige.

Grande abraço e bom final de semana pra você!

PS: Um dos motivos que me fez escrever esse texto foi a tragédia acontecida na escola da minha amiga Stefanie que chegou para trabalhar num belo dia e encontrou o prédio em que trabalha consumido por um incêndio. Força, Teté!

Esperando - Berlim, 2012


Ouvindo Regina Spektor com "One More Time With Feeling"